São Silvestre 2012. Eu fui!


Desde 2006, quando comecei a me aventurar em corrida de rua, o objetivo, ainda que distante, era de correr uma São Silvestre. Não acreditava muito que era capaz de percorrer os 15km da corrida mais tradicional do Brasil. Sempre pratiquei corridas de no máximo 10km e depois da minha última cirurgia no joelho, só corridas de 5km.

Em setembro de 2012 fiquei sabendo que a São Silvestre voltaria para a Av. Paulista e que a largada seria na parte da manhã. Me animei bastante com a possibilidade, e pra garantir minha presença, fiz a bendita inscrição. Daí pra frente foi uma luta nos treinamentos. Peguei uma planilha específica para a São Silvestre e treinava 3 vezes por semana corrida e mais duas de musculação.

Mas as outras responsabilidades da vida de uma pessoa comum não estavam de férias e muita coisa aconteceu, atrapalhou os treinos e sem desistir, fui treinando. Foram pelo menos duas lesões nesse período, fomos roubados com arma na cabeça e tudo, no começo de dezembro peguei uma gripe forte seguida de sinusite (que ainda estou) que me tirou dos treinos por um mês, quando era para estar correndo a cima dos 10km. Paciência. Nossa vida é uma eterna provação.

No dia 31/12/12 eu estava lá na Av. Paulista. Com tosse, peito chiando mas lá, preparado para o que viesse, do lado da minha companheira de todas as horas, minha esposa que acordou as 5h30 da manhã pra me acompanhar. 25mil pessoas inscritas, fora os "pipocas" e as familias que lá estavam acompanhando seus corredores. Provavelmente deve ter duplicado esse número. Era MUITA gente.

Toca a buzina de largada, Carruagem de Fogo nos auto-falantes. Eu ali, em frente ao MASP, fechei os olhos e pedi a Deus para que me desse forças na prova e protegesse minha saúde. Aproveitei e agradeci por estar ali, depois de tudo que passamos em 2012, as dificuldades e meu renascimento no roubo do carro. A emoção tomou conta e não pude conter o nó na garganta e o choro. Mas foi rápido. Logo levantei a cabeça e me enfiei no meio da multidão que aguardava o inicio da movimentação rumo ao centro de São Paulo. Foram 25 minutos até passar pela largada. O clima de festa, a alegria de todos que participam é contagiante. As fantasias são um capitulo a parte. Menção honrosa ao cidadão vestido de goleiro Cássio!

O percurso é difícil. Um começo com descidas fortes que exigem da coxa e principalmente dos (baleados) joelhos. Até aí, todos tentavam correr e consegui manter um ritmo aceitável entre 6' e 6"30. Porém, da metade da corrida pra frente, muita gente que não tinha o menor preparo pra correr os 15km (e arrisco dizer que 90% não tinha) começa a parar e caminhar no meio da rua. Quase caí algumas vezes ao tentar desviar das pessoas. A falta de água nos pontos de hidratação também foram críticas, obrigando a gente a parar e voltar para "caçar" uma garrafinha d'agua. Foi então que decidi simplesmente seguir o fluxo e esquecer pace ou tempo. Decidi festejar. No início da Brigadeiro Luiz Antônio é que a coisa ficou preta. Paredões de pessoas caminhando me impediam de correr. E eu, já com muita dor nos pés (mas com fôlego), desisti de tentar costurar esses grupos de caminhantes na subida. Ia acabar me machucando. Terminei praticamente andando toda a Brigadeiro. O fim, já na Paulista, foi demais. Eu mal acreditava que tinha feito 15km, mesmo alternando com um pouco de caminhada no fim. Nunca tinha feito mais de 10km na minha vida. Felicidade infinita (e cansaço)!

Eu fiz uma São Silvestre e a medalha vai pra um quadro em casa. Não importa o tempo que fiz. Ter terminado uma São Silvestre é motivo de muito orgulho pra mim. Meu pai não acreditava que eu voltaria a correr depois de fazer minha segunda cirurgia no joelho. Eu mesmo cheguei a duvidar várias vezes. Mas aqui estou eu, hoje, como um jovem que passou pelo "rito de passagem", pelo teste que separa os homens dos meninos.

Obrigado a todos que me apoiaram. Aos amigos corredores que sempre deram aquele empurrão moral, e à Ilanna, minha mulher, pela companhia em todas as provas e treinos. Eu devo essa alegria a vocês.

2013 será de ainda mais superação. Que venha a Meia do Rio, se Deus quiser!

8h20 da manhã na Av. Paulista. Lotada!

Nosso herói estava lá! Cááááááássio!

Corinthiano maluco era o que não faltava.

Até o Smegol engordou e virou juiz de futebol.

Gente passando mal também tinha de baciada.

Mais corinthiano pagando promessa. 

E essa coisa linda que me acompanha em toda corrida e na minha vida toda :) S2



0 comentários:

Postar um comentário

 

Autores

Minha foto

Corinthiano Apostólico Romano, trabalhador do petróleo brasileiro, empreendedor da Santa Querupita Clothing Co., fotógrafo, corredor, mountain biker, Lu Patinadora e apaixonado pela Ilanna.

Apoio