Análise: Corinthians 2012

2012 começou há menos de vinte dias, mas o futebol já viveu várias novelas que se arrastaram (e ainda se arrastam) desde 2011.

A mais chata, o caso Montillo, onde o inexperiente presidente do Cruzeiro prefere manter um jogador completamente insatisfeito no clube a receber 8,5 milhões de euros, em um clube que não consegue pagar nem os salários de seus funcionários.

- Não deu.

Mas o que seria do futebol sem suas novelas?

A do Adriano continua um dramalhão mexicano. Mais uma falta a um treino no Corinthians e quase o atacante sobe no telhado.

No Corinthians, nada de grandes contratações. O time será o mesmo campeão brasileiro de 2011, com alguns bons reforços para compor o elenco que terá um ano desgastante.

Chegaram:

Gilsinho
Vindo do Japão atravez de DVD, mais uma vez, parece ser uma espécie peculiar, já conhecida no Corinthians, e de nome Mirandinha. Mostrou ser veloz contra Portuguesa, mas falta objetividade e ritmo de jogo.

Felipe
Zagueiro já estava certo com o Corinthians desde a metade de 2011, vindo do Bragantino. Confesso não ter nenhum conhecimento de seu futebol. Que Deus o ilumine.

Élton
O alto centroavante vindo do Vasco foi vice-artilheiro do time no ano passado, mesmo estando na maior parte do tempo no banco. É raçudo, bom de cabeceio e matador. Bom substituto para o cansado Liédson.

Élton treina no CT do Corinthians.

Victor Júnior
Fez uma excelente temporada pelo Atlético Goianiense em 2011. Mais um meia canhoto no elenco. São três meias canhotos e apenas um meia destro. Nenê Bonilha, que nunca teve chances com Tite.

William Arão
A maior refência que eu tenho desse rapaz é que ele era reserva do Jean na base do São Paulo. Isso, eu disse MAIOR, não MELHOR.

Cássio
Goleiro alto e rodado. Também não tenho muito o que dizer. Ninguém tem, pra falar a verdade.

Nenhum destes veio para ser titular. Mas Elton e Victor Júnior são os que mais tem chances de jogar, já que Danilo está em baixa, Liédson não aguenta a maratona de jogos, e Adriano... Bom, o Adriano sempre está há dois meses de entrar em forma.

Mas o que reclamar de um time que não perdeu nenhum jogador titular da campanha campeã?

Sempre tem. Ambas as laterais são os setores mais carentes do time. Alessandro tinha como sua maior virtude a regularidade que não detém mais. Welder é um bom reserva. Fábio Santos é um jogador mediano, e seu reserva Ramon não inspira confiança.

Atrás, Paulo André e Leandro Castán formam a melhor zaga do Brasil, a menos vazada do último Campeonato Brasileiro. Mas na reserva, Chicão está em péssima fase e Wallace é o típico jogador "fazenda". Passou a vida chutando bunda de vaca no pasto e trata a bola da mesma maneira.

No meio campo, jogadores já convocados por Mano Menezes, Ralf e Paulinho. Ambos unanimidades, porém quando se olha ao banco de reservas... desespero. Edenilson é "esforçado". Luiz Ramirez é bom jogador, mas precisa de uma sequência que não lhe será dada. Nenê Bonilha, coitado. Sempre é destaque nos jogos treino, mas Tite nunca o colocou pra jogar em um jogo oficial, colocando até ZAGUEIRO improvisado de volante.

Na meia, Danilo é aquele jogador que irrita o torcedor. Erra passes de meio metro, e raramente cria algo. Só o Tite que não vê. Alex, este sim, craque de bola. Na reserva... que reserva? Somente agora, com a contratação de Victor Jr. temos um reserva. Jorge Henrique, em má fase, também é mais opção para meia que para o ataque.

No ataque, a fartura. Mas quantidade não é qualidade. Qualidade mesmo se resume há dois jogadores. Liédson e Emerson Sheik. Estes dois, quando inspirados, tocam o terror na defesa adversária. William, quando o time joga com três atacantes, completa o ataque titular do ano passado e início deste ano. Na reserva, o eterno fora de forma Adriano, Kill Bill (voltando de empréstimo), Élton e Gilsinho.

No papel, um bom e entrosado time titular. Na reserva, alguns bons jogadores, mas nada demais. Mas o que mais se lamenta é a falta de oportunidade para jogadores vindos das categorias de base. Hoje temos um time semi-finalista da Copa São Paulo de Futebol Júnior, com bons e talentosos jogadores como Matheuzinho, Leonardo, Marquinhos, Antônio Carlos, Cristiano, Gomes, Anderson, Giovani, Douglas, Denner e Leandro, com grande potencial, mas que serão esquecidos por Tite e sua turma.

Matheuzinho, meia e destaque do Corinthians na Copa São Paulo de Futebol Júnior.

É difícil criticar um técnico que acaba de ser campeão brasileiro, mas "ousadia" é uma palavra inexistente no vocabulário de Tite. Uma pena.

Para a Libertadores ainda acho que faltam jogadores de peso, não literalmente falando. Mas cansamos de ver times limitados serem responsáveis pelas mais inacreditáveis façanhas. Se me perguntarem hoje, quais as chances de o Corinthians faturar a Libertadores, eu digo: TODAS. Um time unido, que conhece muito bem seus pontos fracos, e muito mais seus pontos fortes, tem tudo para sagrar-se campeão da competição latino-americana.

Para completar, ainda pode chegar um certo argentino logo depois das eleições para presidente do clube. E não estou falando de Montillo.
Aguardeaaaam...

 

Autores

Minha foto

Corinthiano Apostólico Romano, trabalhador do petróleo brasileiro, empreendedor da Santa Querupita Clothing Co., fotógrafo, corredor, mountain biker, Lu Patinadora e apaixonado pela Ilanna.

Apoio