Não dá pra criar o bicho preso

Vendo esse monte de piadinha sobre Activia que anda rondando a internet, fiquei intrigado. Por que tanto produto pra soltar o intestino? É Activia, é All Bran, é num sei quê, é não seu que lá. Tudo pra SOLTAR o bicho. Mas eu sempre achei que o importante era ter algo que travasse o chibiu quando a gente tinha dor de barriga, não alguma coisa pra soltar.

Pois bem. Ontem eu senti o drama de quem fica 3 dias sem ir no banheiro. Cacete, mano! Passei mal pra caraco! Me rendi ao Activia! Achei que eu ia explodir! Nem pensar eu conseguia mais.

Muitas mulheres sofrem com esse lance de intestino preso, e depois de ontem, vi que esses produtinhos são necessários mesmo. Digo mulheres porque são elas as que mais sofrem com esse mal da válvula travada. Pode notar as propagandas. Sempre mulheres de pele bonita e magérrimas que encenam a mulher com intestino preso. O que é uma afronta, né? Vai ficar você sem cagar por 3 dias pra ver como fica sua pele e se você não fica de barriga estufada.

Existe até aquela fábula sobre a discussão dos órgãos humanos acerca de quem seria o chefe do corpo. O coração achava que era ele, porque bombeava o sangue pro corpo todo. O cérebro achava que era ele, por dar função pra todo mundo. O pulmão também achava ser ele, etc. Até que o cu resolve falar:

- O chefe vai ser eu e pronto!

Todos os orgãos riram da cara do cu. Ele então decidiu trancar e não deixar mais merda nenhuma sair. Ao fim do quarto dia, ninguém aguentava mais de tanta merda acumulada, todo mundo sobre pressão, aquele inferno. Decidiram então nomear o cu como chefe de todo o corpo, pra ele, enfim, soltar o que deveria ser solto.

Moral da história: Qualquer cuzão serve pra ser chefe. E não há Activia que alivie a pressão de um chefe cuzão. Conforme-se.



1 comentários:

Postar um comentário

 

Autores

Minha foto

Corinthiano Apostólico Romano, trabalhador do petróleo brasileiro, empreendedor da Santa Querupita Clothing Co., fotógrafo, corredor, mountain biker, Lu Patinadora e apaixonado pela Ilanna.

Apoio