Corinthians 2014. Poucas novidades e mudanças. O que esperar?


(foto: Agência Corinthians)

O Corinthians em 2013 foi um time no primeiro semestre e outro no segundo. Apesar de já dar pistas de que o elenco patinaria, sagrou-se campeão paulista e da Recopa Sulamericana, porém, no Brasileiro o clube foi salvo pela boa campanha inicial para não cair para a Série B, jogando um futebol pífio, preguiçoso e sem objetividade. A melhor defesa disparada e o pior ataque também disparado do Brasileirão 2013, amargando um meio de tabela indigesto com o 10º lugar, mesmo com um elenco milionário.

A paciência de todo mundo se esgotou. Torcida e diretoria não tolerou a performance do time e Tite, com as devidas homenagens, não teve seu contrato renovado. Para o seu lugar, Mano Menezes. O técnico que iniciou a fase vencedora do Todo Poderoso após o rebaixamento em 2007. Entre narizes torcidos e comemorações, com ele veio a espectativa de um ano melhor para os corinthianos.

Sem vaga na Libertadores, o Corinthians, assim como os outros grandes paulistas, terá um primeiro semestre magro, com apenas o título Paulista a ser disputado, além do início do Campeonato Brasileiro e Copa do Brasil. Com isso, os investimentos também foram magros. Pouca coisa mudou. Alguns jogadores saíram ou foram emprestados. Apenas um jogador oficialmente contratado: Uendel, ex-Ponte Preta.

Segundo a presidência, diretoria e comissão técnica, o elenco é qualificado, e não deve mudar para este primeiro momento. São 28 jogadores. Parece muito, mas não é. E será que é assim, tão qualificado? Vejamos a lista de jogadores que Mano tem à sua disposição na pré-temporada.

Goleiros: Cassio, Danilo Fernandes, Júlio César e Walter;
Cássio era indiscutível, até se machucar e dar lugar à Walter, que fez um ótimo fim de campeonato, mostrando que o Corinthians está bem servido de goleiros. Cássio é titular, mas tem um goleiro de confiança no banco. Júlio César que deveria buscar novos ares à muito tempo. Já é quarta opção mas não se parece incomodar. Não tem futuro como titular.

Laterais: Diego Macedo, Edenílson, Fábio Santos e Uendel;
Com a provável saída de Edenílson para a Udinese, o Corinthians não tem um lateral direito de ofício. Diego Macedo, que tem contrato até março, é mais ala, e peca na marcação. Isso pode ser solucionado nos próximos dias com a chegada de Fágner, ex-Vasco e revelado no Terrão. Para o lado esquerdo, o eterno Fábio Santos já não é tão eterno assim. Tem se machucado com frequência e obrigou Alessandro a jogar improvisado por muito tempo. Uendel chegou pra ser seu substitituto. Boa revelação da Ponte Preta.

Zagueiros:Antônio Carlos, Cleber, Felipe, Gil, Paulo André e Wanderson;
São três os zagueiros confiáveis. Paulo André e Gil formaram a melhor zaga do último Brasileiro, Cléber, um ótimo reserva. Já Felipe e Antônio Carlos não reúnem as menores condições para jogar no Corinthians. É rezar para não precisar de nenhum deles.

Volantes: Guilherme, Guilherme Andrade, Jocinei e Ralf;
Aqui uma das maiores dificuldades. Desde a saída de Paulinho o Corinthians não consegue acertar o meio-campo. Guilherme se esforça, mas não mostrou ainda o porque do investimento em seu nome para tirá-lo da Portuguesa. Ralf é titular absoluto, já que não tem alguém que o substitua. É o único volante que povoa a frente da zaga e sabe desarmar. Guilherme Andrade volta de contusão complicada e Jocinei não teve oportunidades com Tite. Bruno Henrique, da Portuguesa pode desembarcar a qualquer momento, mas também não é solução. A posição de Ralf é a que mais preocupa.

Meias: Danilo, Douglas, Ibson, Renato Augusto e Rodriguinho;
Seguindo a sina do meio-campo corinthiano, Danilo se aposentou há 1 ano e não descobriu ainda. Douglas já não é mais aquele jogador decisivo. Ibson nunca jogou bola e continua sem jogar, e Renato Augusto vive no DM. Sobrou Rodriguinho, que pareceu ser bom jogador nas poucas vezes que teve oportunidade com o ex-técnico. Bóra rezar pra São Jorge nos livrar de Danilo e curar o Renato Augusto de vez.

Atacantes: Emerson, Guerrero, Pato, Paulo Victor e Romarinho.
O drama alvinegro de 2013 mora aqui. Um ataque que não faz gols (porque, sejamos sinceros, a bola nem chegava também). Emerson deixou de ser decisivo e só sobrou a parte "fominha". Faz o que quer no Corinthians e não entendo o porque. Manda e desmanda sem ser coibido. Guerrero tem que voltar a ser decisivo, já que bom jogador e dedicado ele é. Pato, apesar de criticado, foi quem precisou de menos toques na bola para marcar em 2013. Mano precisa achar seu lugar no time. Romarinho é aquela desgraça marcadora de lateral. Paulo Victor é o jogador de futebol genérico criado na base.

Alguns jogadores que estão na Copa São Paulo de Juniores devem ser incorporados ao elenco principal, mas como sempre, sem chances de mostrar alguma coisa.

Analisando o elenco, então, não é assim, tão qualificado. E olhando bem, apenas 4 jogadores vem das categorias de base. Nenhum é primeiro candidato a titular, muito menos titular absoluto. 2 são goleiros e 2 são, no mínimo, quarta opção na sua posição.

Aí é que me pergunto. Pra que servem as categorias de base do Clube? Onde estão os jogadores vencedores da Copa São Paulo de 2012? E os de 2009? Porque quase nenhum foi aproveitado?

E analisando as primeiras partidas do time aspirante nesta Copinha de 2014, vejo que mais um ano teremos jogadores que não serão aproveitados. Muito fraco, ninguém se destaca.

Mas o Corinthians tem aí uma vantagem em não disputar a Libertadores. A chance de trabalhar esse time, encontrar seu melhor futebol. Mano Menezes pode dar de graças a Deus por jogar um Paulista, podendo pensar o time para estar 'em cima dos cascos' no segundo semestre e chegar forte no Brasileiro, alcançar novamente uma Libertadores e o título brasuca. Mas como eu disse, jogadores que estavam em má fase terão de se recuperar, e um pouco mais de esforços da diretoria em reforços também será necessário no segundo semestre.

Que Mano Menezes faça um grande trabalho. Vai Corinthians!


0 comentários:

Postar um comentário

 

Autores

Minha foto

Corinthiano Apostólico Romano, trabalhador do petróleo brasileiro, empreendedor da Santa Querupita Clothing Co., fotógrafo, corredor, mountain biker, Lu Patinadora e apaixonado pela Ilanna.

Apoio