[Cinema] Muito Barulho Por Nada - Quando dói ser cult

Há algum tempo nada de legal aparece nos cinemas e semana passada eu estava louco pra ver um filme nas telonas. Depois de olhar e olhar o que estava passando, o único que me pareceu "assistível" foi Muito Barulho Por Nada (Much Ado About Nothing), adaptação de Joss Whedon (The Avengers) da comédia de William Shakespeare.

A ideia de trazer a peça de 1598 para um cenário atual se mostrou muito interessante. Porém, o começo do filme é bem confuso. O uso da linguagem rebuscada do inglês arcaico misturado com as imagens atuais e o preto e branco com pouco contraste (sim, o filme é todo em preto e branco) complicou bastante o entendimento do que se passava. Ou seja: atores pouco marcantes misturado com uma peça teatral em inglês arcaico filmado todo em preto e branco, além de um cenário cronologicamente fora do normal é no mínimo um exagero de criatividade que acabou prejudicando muito o filme.

Juro que por volta de vinte minutos de filme eu pensei seriamente em me levantar, jogar os vinte Reais que paguei no lixo e ir embora. Mas meu orgulho de pobre não deixou.

Foi então que o filme começou a ficar um pouco mais compreensível, e me arrancou alguns sorrisos de canto de boca. Acho que se fosse uma tragédia eu teria aproveitado mais. Ver aquele bando de personagem morrendo seria o ponto auge do filme, que por ser uma comédia, não aconteceu.

Mereceu apenas um Ewaldinho* do blog.

*Nossa escala de notas que vai de 1 a 5 Ewaldinhos (homenagem ao "grande" Rubens Ewald Filho).


0 comentários:

Postar um comentário

 

Autores

Minha foto

Corinthiano Apostólico Romano, trabalhador do petróleo brasileiro, empreendedor da Santa Querupita Clothing Co., fotógrafo, corredor, mountain biker, Lu Patinadora e apaixonado pela Ilanna.

Apoio