Obsessivo eu? Que nada!

Não é fácil ser eu. Definitivamente não é fácil ser eu.

Sou movido pela curiosidade. Não sossego enquanto não aprender, enquanto não conseguir. E se não consigo, fico extremamente decepcionado. Minha loucura é tanta que beira a obsessão. Ou seja: sou chato pra cacete.

Lembro-me bem de quando começamos a desenvolver a idéia da Santa Querupita, nossa webstore. Grana a gente não tinha (e hoje tem, por um acaso?). O jeito era desenvolver um site com e-commerce eu mesmo, sem conhecer absolutamente nada de programação ou desenvolvimento para web. Foram 10 meses incessantes até colocar o site no ar. Foi gratificante. Aliás, essa é uma característica desse tipo de comportamento. As realizações são muito gratificantes. Assim como as não realizações derrubam muito a gente. No caso, eu.

Quando algo desperta minha curiosidade, passo vinte e quatro horas por dia pensando naquilo (não "naquilo", mas naquilo sem aspas mesmo) estudando, pesquisando, testando. Está sendo assim com meu celular no momento. Primeiro foi a "ousadia" (pra não dizer outra coisa?) de fazer ROOT no Android sem terminar a garantia do aparelho. ROOT é simplesmente conseguir acesso de 'administrador' no sistema operacional, pra assim poder desinstalar um monte de aplicativos inúteis nativos da Samsung e Vivo. Após vencer o cagaço de algo acontecer e eu perder milão num celular, fiz o procedimento depois de estudar muito e voi la! Agora estou estudando há dias a instalação de uma nova ROM (firmware ou sistema operacional). A original não me atende? Atende! Perfeitamente, mas sou curioso obsessivo. O que fazer? Instalar o CyanogenMod? O MIUI? A Luzia atrás da horta?

Não é fácil ser eu. Definitivamente.

Geralmente me sinto culpado por esse tipo de comportamento. Sinto que estou desperdiçando tempo, apesar de que conhecimento, mesmo que inútil, nunca é demais. Poderia ser diferente, aproveitar melhor o tempo com a minha mulher. Que ela me perdoe e tente entender a mente doente aqui instalada. Ou ao menos que a aceite, já que nem eu mesmo a entendo. E que Deus seja legal o bastante comigo e não trasforme essas obsessões em uma úlcera gástrica ou uma superfície lisa e lustrosa no topo da cabeça, com alguns fios para contar a história.


 

Autores

Minha foto

Corinthiano Apostólico Romano, trabalhador do petróleo brasileiro, empreendedor da Santa Querupita Clothing Co., fotógrafo, corredor, mountain biker, Lu Patinadora e apaixonado pela Ilanna.

Apoio