E começou a Libertadores?

Havia grande expectativa para o jogo de ontem. O Corinthians, que começou mal o ano, fazendo jogos pífios no Campeonato Paulista, enfrentaria um time desconhecido qualquer da Colômbia chamado Deportes Tolima. A promessa dos jogadores corinthianos era fazer um jogo completamente diferente dos que já aconteceram este ano. Prometeram gols e mais gols.

Não foi o que se viu.

O jogo foi tenso do começo ao fim. O Corinthians pressionou em todos os minutos do jogo, mas tomava alguns contra-ataques que tirava o fôlego da torcida fazendo uma linha de impedimento mais burra que a própria linha burra. Tanto que o Tolima chegou a marcar em impedimento mal assinalado pelo bandeira.

O Corinthians era só vontade. Muita vontade, mas pouco futebol. Jucilei parece ter desaprendido a jogar futebol ou ainda está em férias. Sentiu a pressão. Defendia como um atacante e atacava como um volante, recebendo e tocando de lado ou pra trás.

Dentinho já não mostra bom futebol há muito tempo. Passa mil vezes o pé em cima da pelota e toca pra trás. Chutes no gol chegam a me dar vergonha alheia. Não acerta um. Tanto que no último jogo o gol que fez foi porque errou o chute e desviado foi para o gol.

A zaga do time colombiano era fraca, mas populosa. Tocavam a bola até a exaustão, pedindo para entregar para o atacante, mas nem isso foi aproveitado. Total falta de sincronismo da pressão corinthiana na saída de bola.

O ataque alvinegro sofre. Não chuta em gol, não cria oportunidades. Ronaldo sozinho não faz verão. Não há um jogador no meio de campo que pense, que distribua corretamente a jogada, que faça uma enfiada de bola, algo saindo do óbvio. Assim a marcação do adversário foi facilitada.

Não havia o tiro de longe. Até o "Chuta-Chuta" Bruno César não vem tentando seus chutes nesta temporada. Jucilei teve várias oportunidades de experimentar de fora da área e tocou de lado.

E Tite parece só ter três jogadores no banco em todas as partidas. Edno, Danilo e Marcelo Oliveira. Danilo é um ex-jogador. Sua velocidade e precisão são comparadas a um jogador mediano que se aposentou há alguns anos. Não dá pra acreditar que o Corinthians o manteve no plantel, e muito menos que Tite insiste em utilizá-lo. Edno entrou com vontade, mas é limitadíssimo. Marcelo pouco pode fazer, mas é uma opção melhor que Roberto Carlos, que se esconde do jogo.

A partida poderia ter dois dias inteiros corridos que o Corinthians não faria um gol.

A esperança agora é que o time colombiano jogue mais aberto em suas dependências. A vitória do Todo Poderoso deve vir à duras penas, como corinthiano gosta.

Mas o Corinthians precisa de jogador. Ontem houve muita raça e muita tentativa, mas pouca qualidade, pouco talento. E não precisa de jogadores em posições pontuais. Precisa de jogadores bons em todas as faixas do campo. Falta um zagueiro de alto nível, um lateral direito melhor que Moacir, um segundo volante, um meia e dois atacantes bons no mínimo. E a diretoria tem de ser cobrada. Falta banco de reservas, e dinheiro não é desculpa, né, Carlos Leite?

Torcedores da nação! Nossos jogadores honraram a camisa. Empenharam-se, mas não podem dar muito mais que isso. Devemos cobrar, não eles, mas a diretoria. Fique de olho, Andrés! Estamos de olho!


0 comentários:

Postar um comentário

 

Autores

Minha foto

Corinthiano Apostólico Romano, trabalhador do petróleo brasileiro, empreendedor da Santa Querupita Clothing Co., fotógrafo, corredor, mountain biker, Lu Patinadora e apaixonado pela Ilanna.

Apoio