O futuro do futebol não passa por aqui

Ontem foi dia de eleição para presidente do Clube dos 13.

Os candidatos eram Fábio Koff, atual presidente (15 anos no cargo), e Kleber Leite.

Venceu Koff.

Se venceu, é porque teve um bom mandato anterior? Não.

Se ele não teve um bom mandato, por que ganhou? Falta de opção? Pode até ser.

Kleber Leite, ex-presidente do Flamengo, que só fez caca dirigindo o maior clube do Brasil, não teve o apoio do... Flamengo, que apoiu Koff.

Luiz Gonzaga Belluzzo, atual presidente do Palmeiras, que se diz contra o continuísmo, votou em Koff, há 15 anos no poder.

Andrés Sanches, presidente do Corinthians, e Dinamite, presidente do Vasco, apoiaram Leite. Eles simbolizavam a renovação.

Renovação que foi apoiada por Ricardo Teixeira, presidente quase vitalício da CBF.

Se a CBF conseguisse ganhar o Clube dos 13, teria todas as Federações, mais os clubes nas mãos. Venceu Koff.

O que não significa ser uma oposição à CBF, apesar de ter como aliado, Juvenal Juvêncio, presidente do São Paulo, e desafeto de Teixeira.

Fábio Koff, até pelo apoio de Juvenal, apoia o Morumbi como palco da Copa do Mundo de 2014 em São Paulo. Estádio este, que a entidade maior do futebol, a FIFA, descartou hoje, não só como estádio para a abertura, como para qualquer partida da Copa.

Koff dará um posto de confiança a Leonel Martins de Oliveira, presidente do Guarani de Campinas, que hoje é um clube praticamente falido.

E depois da eleição, Andrés Sanches, que era vice na Chapa de Kleber Leite, diz:

- Isso aqui (Clube dos 13) tem que acabar. Não serve pra nada!

É aí que eu digo. Na mesma praça, no mesmo banco...


1 comentários:

Postar um comentário

 

Autores

Minha foto

Corinthiano Apostólico Romano, trabalhador do petróleo brasileiro, empreendedor da Santa Querupita Clothing Co., fotógrafo, corredor, mountain biker, Lu Patinadora e apaixonado pela Ilanna.

Apoio