Crise? Que crise?

Muito se fala a cerca do impacto que a crise econômica mundial pode ter nos esportes, principalmente no futebol e seus números extraordinários.

Os primeiros indícios se pode perceber quando a AIG esteve a beira da falência. A seguradora patrocina simplesmente o melhor time do mundo, o Manchester United. O time de Old Trafford já cogita fechar um novo acordo por um valor menor que o de seu último contrato.

Roman Abramovich, o trilhardário russo dono do Chelsea cogitou vender o clube depois de tantas perdas financeiras na crise. Segurou as pontas, mas o clube não irá investir em contratações este ano.

Pelo Brasil se pode perceber pelo número de clubes grandes que ainda não tem patrocínio fechado. Entre eles, Corinthians e Cruzeiro se destacavam.

Destacavam.

O time mineiro segue sem patrocínio, porém o Corinthians anunciou ontem seu novo patrocinador para a temporada 2009.

Será a Batavo.

A empresa de laticínios vai pagar cerca de 18 milhões de Reais para o clube paulista em dez meses de contrato. Simplesmente o maior patrocínio já fechado por um clube brasileiro na história.

Crise? Que crise?

Como se não bastasse, o Corinthians já havia fechado dias atrás um novo contrato de fornecimento de material esportivo com a Nike. 20 milhões de reais. Não só récorde nacional como o terceiro maior contrato do mundo do tipo. Só ficando atrás de Manchester United e Barcelona.

Também, nos meses que passou sem patrocinador fixo, o Corinthians inovou. Buscou patrocínios de ocasião. Foi assim no amistoso contra o Estudiantes e no jogo contra o Palmeiras. Embolsando uma quantia de cerca de 5 milhões só nestas ocasiões.

Milagre?
Loucura dos patrocinadores?

Nada disso. Competência e criatividade.

Andres Sanches, o presidente reeleito do Corinthians, pode não ser muito letrado, pode não ser muito aceito dentro e fora do clube, mas uma coisa ele já provou ser. Competente em escolher seus vices. A dupla Luis Paulo Rosemberg e o diretor de Marketing Caio Campos são pessoas a quem se deve tirar o chapéu no programa do Raul Gil - outro corintiano ilustre.

Desde o fim de 2007 até agora o Corinthians comemora os grandes resultados conseguidos pelo Marketing do clube.

Primeiro o contrato com a Medial Saúde, também maior do Brasil na época. Depois ações de marketing durante toda a teporada, levando receita ao clube e aumentando a sua visibilidade.

Mas os feitos não pararam por aí. Este ano desembarcou em São Paulo simplesmente o ganhador de duas Copas do Mundo e eleito melhor do mundo três vezes. Ronaldo assinou contrato com o Corinthians em uma ação coordenada principalmente pelo setor de marketing, elevando em escala logarítimica a visibiliade do clube tanto nacionalmente quanto internacionalmente.

O potencial de aproveitamento do marketing no futebol é infindável. É um esporte que tem como maior característica a paixão de seus torcedores.
18 milhões por um contrato de patrocínio é muito bom, principalmente para a empresa que patrocina. O patrocínio de camiseta tem tanta exposição de marca que poderia muito bem passar da casa dos dois digitos dos milhões que ainda seria um ótimo negócio.

Felizemente um clube brasileiro acordou para este universo. O Corinthians vem inovando a cada dia, buscando soluções e oportunidades na crise, enquanto outros e até o clube de maior torcida do Brasil só a lamenta e afunda de mãos dadas com a crise.

Crise? Que crise?
O que existe são oportunidades.
Só depende da competência e criatividade.

3 comentários:

Postar um comentário

 

Autores

Minha foto

Corinthiano Apostólico Romano, trabalhador do petróleo brasileiro, empreendedor da Santa Querupita Clothing Co., fotógrafo, corredor, mountain biker, Lu Patinadora e apaixonado pela Ilanna.

Apoio